Conheça os tipos mais comuns de ataques hackers e como se proteger

.Notícias

E-mail phishing, ataque DDoS e cavalo de tróia estão entre os tipos mais comuns de ataques, prejudicando empresas e consumidores

Em 2020, o Brasil sofreu mais de 3,4 bilhões de ataques hackers, de acordo com dados da Fortinet Threat Intelligence Insider Latin America. E esse cenário preocupa tanto consumidores, que acabam tendo problemas com roubo de dados e clonagem de cartões, por exemplo: quanto empresas, que precisam investir valores altos para se protegerem, o que acaba impactando diretamente no valor do serviço ou produto final.

“Apesar dos ataques a órgãos públicos ganharem mais destaque, não há um setor que seja mais prejudicado. A onda de ataques chega a afetar, inclusive, o bolso do consumidor que, além de ter que proteger também dos cibercriminosos, podem sofrer com alta dos preços de alguns produtos, uma vez que as empresas estão demandando altos investimentos em segurança”, explica Diogo Santos, CTO da Claranet Technology S/A.

Diante deste cenário, quais os ataques hackers mais comuns e como evitá-los? Para ajudar com essa questão, Diogo listou quatro deles e como se proteger em cada situação. Confira!

• E-mail phishing: são e-mails, aparentemente inofensivos, enviados por cibercriminosos, se passando por outras instituições para conseguir captar dados importantes, como senhas e até números de cartão.

Proteja-se! Evite o envio de informações sensíveis por e-mail e clicar em links que não sejam 100% confiáveis.

• Ataque DDoS: do inglês Distributed Denial of Service, é mais comum entre as empresas. É quando várias máquinas e robôs estão tentando, simultaneamente, acessar um mesmo servidor, podendo até derrubá-lo. O ataque causa grandes impactos, uma vez que são dificilmente rastreados.

Proteja-se! Invista em links com proteção AntiDDoS, que identificam e bloqueiam intrusos.

• SQL Injection: é um tipo de ataque que manipula o código SQL, ou seja, linguagem para troca de informações entre bancos de dados e aplicativos. Significa que os criminosos passam a ter acessos a diversos tipos de dados sensíveis.

Proteja-se! Como é mais comum em empresas, é necessário que elas invistam em Segurança da aplicações desde o seu desenvolvimento (SecDevOps) e mantenham as vulnerabilidades mapeadas e outras soluções que diminuam os riscos, como WAF (Web application firewall).

• Cavalo de Troia: como uma forma de espionagem, os cavalos de tróia permitem que cibercriminosos roubem dados e informações sensíveis, tanto de empresas como de pessoas.

Proteja-se! Invista no uso de antivírus eficientes e treinem seus usuários exaustivamente para diminuir os riscos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.