Movimento #EuTambémSouGamer pede visibilidade para as diversidades

.Games/Toys

Trope lança estudo inédito para identificar se a diversidade se sente representada na publicidade para gamers

Um estudo conduzido pela Trope, aceleradora de influência da Geração Z, em parceria com grupo de pesquisa AlgoritmCOM, teve como objetivo identificar se a pluralidade se sente representada na publicidade para gamers. A campanha #EuTambémSouGamer busca visibilidade e representatividade para que seja um espaço ocupado de forma plural e contou com o apoio de gamers de diversidade como: Buero, Mandy Candy, Bryanna Nasck, Luis Gouveia (LJoga), Diana Zambrozuski, Machadinho, entre outros.

A pesquisa identificou que 59% dos respondentes concordam que as marcas não representam a diversidade, sendo que 93% dos gamers de diversidade consideram importantes os investimentos das marcas em publicidade para o público.Apesar da importância dos investimentos ser reconhecida, observou-se que a forma como tem sido empregada causa incômodo.

Outro dado é que 77% dos respondentes concordam que falta inclusão nas empresas/marcas para mais diversidade na publicidade. Uma participante na faixa etária de 25 anos, mulher cis, bissexual, branca, de SP evidencia a questão, “Quando você tem mulheres nos bastidores, tomando decisões, é quando há diversidade. Mulher pode ser apresentadora – mas também pode ser técnica, analista, jogadora.”, afirma.

Para Luiz Menezes, fundador da Trope, a condução da pesquisa partiu de um questionamento presente na internet, mas com carência de dados que realmente pudessem trazer visibilidade para o tema: “O Brasil tem muito a avançar no tema diversidade, então a pesquisa evidencia que o caminho para alcançar a pluralidade é longo. Sabemos que dados e planos de ação são os primeiros passos para causar a mudança necessária.”, afirma.

Movimento #EuTambémSouGamer

Junto da criação do movimento, a Trope anuncia o lançamento de uma série de iniciativas para levar às marcas, agências de publicidade e indústria de games, mais destaque às minorias: workshop “in company” com consultoria de especialistas, programa de aceleração de gamers, e projetos de diversidade.

Cerca de 4 mil respondentes participaram da pesquisa que considerou toda e qualquer diversidade, que joga games digitais e/ou consome conteúdos de jogos (transmissões ao vivo, notícias, influenciadores, campeonatos, entre outros) desde que pertencentes a pelo menos um dos seguintes recortes: pessoas não brancas, LGBTQIAP+, PcDs (pessoas com deficiência). O objetivo foi mensurar o sentimento e características que gamers de diversidade possuem quando questionados sobre o quanto se sentem representados pela publicidade para gamers. A partir das respostas quantitativas e qualitativas foi possível tangibilizar os sentimentos.

Confira a pesquisa na íntegra: https://trope.se/estudo-diversidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.