As aplicações dos assistentes de voz a um aplicativo de leitura

.Notícias

Rafael Guimarães, CTO do 12min

Na esteira da inovação, a tecnologia conduz mudanças significativas em atividades cotidianas e – repetindo o clichê – cria soluções para problemas que nem sabíamos que tínhamos. Alheia às inúmeras funções grandiosas que o sistema de assistente de voz pode desempenhar, é justamente na realização de atividades corriqueiras que podemos encontrar a sua principal utilidade.

Há uma semana, o Google anunciou – em parceria com o UBook e 12min – um comando de voz especial. Ao falar “Ok Google, conte-me uma história”, o assistente pessoal da Big G vai narrar histórias como João e Maria ou Cinderella. Também será possível pausar, avançar ou retroceder a leitura sem nem mesmo precisar tocar o aparelho celular ou outro dispositivo em que o Google Assistente esteja disponível.

Com base nos interesses individuais, o algoritmo que desenvolvemos realiza uma curadoria eficiente para que o público consiga consumir um conteúdo de qualidade sem precisar perder tempo escolhendo, precisar tirar o filho do colo ou mesmo olhar para a tela. Falando assim, pode parecer simples, mas, em um mundo cada vez mais dinâmico, onde recebemos uma tempestade de informação por minuto e sofremos pressão para estar sempre atualizado, a ferramenta é uma companheira.

Imagine, você, com uma lista de coisas, tem a facilidade de alterar horário de eventos ou controlar as atividades apenas com o comando de voz, sem precisar perder o foco no que está fazendo naquele momento? A quantidade de ações que tomamos e projetos que desenvolvemos diariamente deixam a rotina mais complexa e corrida. Os assistentes virtuais tornam mais fácil boa parte dessas tarefas.

No ambiente brasileiro, onde o sentimento contemporâneo é que as horas parecem nadar numa correnteza irrefreável, a leitura costuma ser uma prática guardada na prateleira mais alta da sala de estar. Um levantamento realizado pela empresa Picodi mostrou que 31% da população não lê livros, provando que o ato está em segundo plano em relação a outras prioridades.

Neste cenário, a solução pode vir, então, dos subestimados comandos de voz, que impulsionam o consumo dos audiobooks e outros conteúdos práticos. Além das comodidades costumeiras, ela é democrática: desde crianças em fase de aprendizado até idosos com a visão debilitada podem usufruir dos benefícios disponibilizados pelos assistentes virtuais.

A ferramenta ainda está em processo de construção. Em breve a veremos desempenhando muito mais funções e sendo utilizada nos mais diversos setores. Para a leitura, os primeiros passos já foram dados e são animadores. Por ser uma interface de comunicação natural, fluida e intuitiva, a voz proporciona a economia de tempo, acessibilidade e, no fim, mais acesso a conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.