Review: Motorola Xoom

Postado em por Veridiana Serpa

A  tablet  Xoom (lê-se zoom) tem tela widescreen TFT capacitiva de 10.1″ com 16 milhões de cores e resolução de 800 × 1280 pixels, processador de dois núcleos Tegra 2 da Nvidia de 1GHz, memória RAM de 1 GB, sistema Android 3.0 (Honeycomb),  uma câmera frontal de 2 megapixels e outra traseira de 5 megapixels, acelerômetro, porta microHDMI, porta micro-USB e uma entrada para fone de ouvido,  memória expansível com cartões microSD, alto-falantes integrados, reconhecimento de voz,: Wi-Fi 802.11 a/b/g/n, Wi-Fi hotspot, GPS, Bluetooth 2.1  e a versão testado foi de 32GB de espaço interno.

A tela widescreen possui uma área de exibição maior que a  dos concorrentes (9,7″ do iPad e 7″ do Galaxy Tab), sendo excelente para assistir vídeos , mas a exibição de vídeos em 1080p funcion bem via HDMI e a navegação na web é bem tranqüila com as páginas com boa resolução e com um navegador  que é parecido com o Google Chrome, com abas, sincronia automática de favoritos entre o desktop e o tablet e modo para navegação privada  acessando a categoria recursos variados.

Com um design mais alongado que os concorrentes, a frente é recoberta por vidro, com câmera frontal de 2MP e LED. A parte de trás é curvada com 3/4 em aço escovado e  1/4 emborrachada, e é na parte traseira que encontramos a saída de som, câmera de 5MP, flash e botão liga/desliga (se não tomarmos cuidado, podemos desligar acidentalmente o gadget). Na lateral esquerda no topo fica o controle de volume, com botões não tão flexíveis, entrada para fone de ouvido (3.5mm), entrada para chip SIM e para microSD. Na parte de baixo fica a entrada para a fonte, microfone, uma conexão microHDMI e uma microUSB.

Apenas 100 aplicativos estão disponíveis para a tablet que já vem com GTalk, GMail, Google Search, Maps, YouTube, Agenda, Earth, Sky Map e Mapas, visualizador de documentos, vídeos, um editor simples de vídeo, browser e possui bookmarks e abas que funcionam como um aplicativo de desktop. O Android Market  só funciona em modo paisagem e alguns aplicativos as vezes fecham sem motivo aparente.  O aplicativo de música para Android 3.0  com controles básicos de áudio.

O teclado é bem espaçoso e a acentuação é similar do iOS, bastando manter a  letra apertada para que apareçam as opções, um problema que notamos foi que com facilidade a tela fica toda marcada de dedos.

Apesar de ser estranho tirar fotos ou filmar com o Xoom, já que o gadget tem 10”, ainda assim há uma câmera traseira com  sensor de 5 megapixels e flash duplo de LED com autofoco, o resultado são fotos boas quando tiradas durante o dia, porém a noite as fotos apresentam uma certa granulação.

Capacidade de gravar vídeos em HD, alta resolução simples a 720p, funciona a contento.

A câmera frontal com sensor de 2 megapixels é  ideal para  vídeochamada, funciona super bem com o Gtalk, como estamos falando de uma tablet, que não possui uma base fixa, como por exemplo uma webcam, a função redutor de balanço que estabiliza o fundo do vídeo, é muito boa já que mantêm o rosto no mesmo lugar.

A Xoom suporta Adobe Flash, o desktop apresenta ícones e widgets  e são cinco telas personalizáveis, cada tela suporta 56 pequenos ícones de aplicativos, com cinco telas, dá para colocar 280 ícones. A tela apresenta duas faixas com ícones pequenos, a superior com o programa aberto no momento e a inferior com ícones, por sinal sem nenhuma identificação, com status de aplicações e atalhos para menus de configuração.Por não possuírem identificação dá pra ficar a princípio meio perdido sem saber quais são, pois só podemos saber  ao acioná-los. O menu pop-up de aplicativos recentemente abertos apresenta nomes e  imagens que mostram a última atividade realizada. Na parte debaixo da tela fica a barra de status principal, na lateral esquerda ficam os três ícones: voltar, home e o multitarefa que exibe os últimos cinco aplicativos abertos pelo usuário em janelas, com o ícone do processo por cima.

Do lado direito, o horário, a bateria e a conexão Wi-Fi são exibidos além do espaço vazio onde aparecem avisos de apps e ao clicar no horário e no pequeno ícone no canto abre uma paleta de configurações básicas.

Acelerômetro permite identificar a disposição do gadget, porém a mudança da  posição de paisagem para retrato demora um pouco.

Atalhos para aplicativos e widgets interativos, permitem acessar ou visualizar um conteúdo sem precisar abrir um programa em tela cheia e o plano de fundo também pode ser modificado para qualquer imagem.

Segundo a Motorola o tempo de vida da bateria é de 10 horas, no nosso teste durou cerca de 9 horas. A bateria não é removível e a tablet só pode ser carregada  pela tomada, com uma fonte. Não pode ser carregada plugada ao PC nem com carregador USB.

A caixa vem com a Tablet, manual, cabo USB e a fonte.

Facebook Comments

Deixe uma resposta